Douglas DC-6B | Varig

O Douglas DC-6 foi um avião de motor a pistões construído pela Douglas Aircraft Company de 1946 a 1959. Começou a ser voar aqui quando a Pan Am a usou na inauguração dos seus voos transatlânticos em classe turística, iniciados em 1952. Kit Minicraft na escala 1/144 (by Nite), representa o DC-6B prefixo PP-YSI, ex-Real Linhas Aéreas.

Esta aeronave começou sua vida voando pela SAS em 17.10.1953 como OY-KMI (serial 44166, line number 016). Veio para a Real em 17.03.1961 e em agosto do mesmo ano, passou a ostentar as cores da Varig. Depois, foi para a FAB como 2412 (1968). Em junho de 1975 foi cedido ao Paraguai, onde operou até 1980 (código 4003) até ser desativado.

Os Douglas DC-6 de primeira versão de produção (os “DC-6 puros”) foram produzidos até 1951, num total de 175 unidades. Destes, nenhum chegou a operar nas companhias brasileiras. Em 1948, entretanto, a Douglas começara a estudar a possibilidade de uma versão ampliada, com maior volume de cabine, carga útil e peso operacional, aproveitando para isso a disponibilidade dos novos e excelentes motores Pratt & Whitney Doublé Wasp C 16, de 2.400 hp. Que foram oferecidos com um sistema de injeção de água/metanol, para uso na decolagem. Permitindo um incremento sensível na potência.

Foi feito um novo alongamento da fuselagem, de 1,52 m, e a capacidade de combustível também foi ampliada, passando de 16.125 para 20.915 litros. Esta nova geração do DC-6 voou em 1949 e foi oferecida em duas variantes- DC-6 A, otimizado para carga (com assoalho reforçado e duas grandes portas do lado esquerdo, uma antes e outra atrás da asa), e o DC-6B, especifico para o transporte de passageiros. Ao todo foram produzidos 288 DC-6B, com o último sendo entregue em 10 de fevereiro de 1959, exatamente para a companhia brasileira Lóide Aéreo Nacional. Assim, os últimos DC-6 a saírem das linhas de montagem da Douglas!

A aquisição dos quatro DC-6 do Lóide Aéreo aconteceu com uma encomenda em 1957, feita em função de uma lei que garantia subvenção estatal para reequipamento às companhias aéreas. Como a empresa, na época, operava uma extensa rede de linhas domésticas com uma grande frota de DC-4 e C-46, ela pôde acessar recurso bastante respeitável através da lei e os investiu na compra dos DC-6.

O fato, porém, é que a própria companhia não sabia o que fazer com aeronaves de tal capacidade, de modos que, imediatamente à sua entrega, os aviões foram arrendados à Panair do Brasil-que, assim, se tornou a primeira operadora do modelo no país. Na Panair, os quatro DC-6 foram usados em linhas internacionais para a América do Sul, o sul da Europa e o Oriente Médio, servindo nessa rotas até 1961.

Aeronave: Douglas DC-6B
Operador & Registro: Varig | PP-YSI
Kit: Minicraft
Escala: 1/144
Número Hangar: SR00134

Deixe uma resposta