Douglas DC-6B (C-118) | FAB

Kit Minicraft, escala 1/144 de um dos cinco Douglas DC-6 utilizados pela FAB, todos ex-Varig, matriculados de 2412 a 2416, este representado pelo modelo. O 2416 (serial 43824) foi entregue novo para a Northeast Orient (N91304), foi vendido para a Panair (PP-YSN) e operou na Varig (com o mesmo prefixo) até ser vendido à FAB. Após a passagem pela força brasileira, foi vendido à Força Aérea do Paraguai (FAP), recebendo o registro T-89. Os C-118 eram usados no 2º/2º Grupo de Transporte em Manaus, no Amazonas, onde o 2414 foi perdido em acidente no dia 28.04.71.

O C-118 FAB2413 foi canibalizado em 1973 para fornecer peças aos demais que foram vendidos em 1975, fechando o ciclo de operações do modelo. As aeronaves, que foram repassadas para FAB em 1968, atuaram muito no Projeto “RONDON”, levando Universitários do projeto para à Região Amazônica.

Os Douglas DC-6 de primeira versão de produção (os “DC-6 puros”) foram produzidos até 1951, num total de 175 unidades. Destes, nenhum chegou a operar nas companhias brasileiras. Em 1948, entretanto, a Douglas começara a estudar a possibilidade de uma versão ampliada, com maior volume de cabine, carga útil e peso operacional, aproveitando para isso a disponibilidade dos novos e excelentes motores Pratt & Whitney Doublé Wasp C 16, de 2.400 hp. Que foram oferecidos com um sistema de injeção de água/metanol, para uso na decolagem. Permitindo um incremento sensível na potência.

Foi feito um novo alongamento da fuselagem, de 1,52 m, e a capacidade de combustível também foi ampliada, passando de 16.125 para 20.915 litros. Esta nova geração do DC-6 voou em 1949 e foi oferecida em duas variantes- DC-6 A, otimizado para carga (com assoalho reforçado e duas grandes portas do lado esquerdo, uma antes e outra atrás da asa), e o DC-6B, especifico para o transporte de passageiros. Ao todo foram produzidos 288 DC-6B, com o último sendo entregue em 10 de fevereiro de 1959, exatamente para a companhia brasileira Lóide Aéreo Nacional – cujos quatro DC-6 A, foram, assim, os últimos DC-6 a saírem das linhas de montagem da Douglas.

Abaixo, dados da vida operacional deste DC-6:

43824 | 299 | N91304 | Western AL | 15.12.52 | DC-6B

Northwest Orient AL 59
International Air Svcs 25.08.61
REAL SA NTU
PP-YSN VARIG 08.61
2416 Brasilian Air Force 68
T-89 Paraguan AF 06.75
4002 Paraguan AF rr 80

Aeronave: Douglas DC-6B 
Operador & Registro: Força Aérea Brasileira | FAB2413 | C-118
Kit: Minicraft
Escala: 1/144
Número Hangar: SR00960

Douglas DC-6B | American Airlines

A American Airlines recebeu seu primeiro Douglas DC-6 em 1947, operando modelos A e B entre até 1966. O N90757, serial 43269, foi entregue em 18.05.1951 e recebeu o nome de Flagship Oklahoma, nome que herdou do DC-3 N16019, alterado para Flagship Oklahoma City. Este DC-6 operou na empresa até 1964, quando foi arrendado para a Hawaiian Airlines até 09.1966. Em 1968 foi vendido para a Yemen Airways e registrado 4W-ABD. Em 1971 foi retirado de uso e virou sucata.

Kit Minicraft e decais Airways Graphic International. Optei por pintar radome, asas, estabilizdores e motores (Testors 921536), pois usar decais nisso era um pesadelo.

Aeronave: Douglas DC-6B
Operador & Registro: American Airlines | N90757
Kit: Minicraft
Escala: 1/144
Número Hangar: SR01021

Douglas DC-6B | United

Este é o Douglas DC-6B prefixo N37559, da United Airlines. Uma das 52 aeronaves do tipo que voaram nas cores da empresa. Este, em particular, tinha o nome de Mainliner Denver e foi alvo de um crime em 01.11.1955, quando John Gilbert Graham, colocou dinamite na bagagem de sua mãe que voaria entre Denver e Seattle no voo 629, que se originava em New York City. 11 minutos após a decolagem, o DC-6 explodiu sobre Longmont, Colorado, com a perda de 39 passageiros e 5 tripulantes. Graham queria matar a mãe e ter acesso à dinheiro de seguro, que ele fez para ela antes da viagem. Foi descoberto pelo FBI e condenado à morte.

Kit Minicraft Pan Am/United, com decais da caixa, que tem duas opções: o Mainliner Denver e o Mainliner New York.

Aeronave: Douglas DC-6B
Operador & Registro: United Air Lines | N37559
Kit: Minicraft
Escala: 1/144
Número Hangar: SR00447

Douglas DC-6B | Pan American

Mais um Minicraft, este out of the box, nas cores da Pan American, final dos Anos 50. O Douglas DC-6 foi um avião de motor a pistões construído pela Douglas Aircraft Company de 1946 a 1959. A Pan Am usou aeonaves DC-6 na inauguração dos seus voos transatlânticos em classe turística, iniciados em 1952. Eles voavam nestas cores para o Brasil. A aeronave que este kit Minicraft representa (escala 1/144) é a de prefixo N6528C, chamado de “Clipper Midnight Sun”, recebido na frota em 03.07.52 (serial )43528. Aliás, ele iniciou a carreira naquele ano com a pintura antiga e o nome “Clipper Morning Star”.

Aeronave: Douglas DC-6B
Operador & Registro: Pan American | N6528C 
Kit: Minicraft
Escala: 1/144
Número Hangar: SR00944

Douglas DC-6B | Varig

O Douglas DC-6 foi um avião de motor a pistões construído pela Douglas Aircraft Company de 1946 a 1959. Começou a ser voar aqui quando a Pan Am a usou na inauguração dos seus voos transatlânticos em classe turística, iniciados em 1952. Kit Minicraft na escala 1/144 (by Nite), representa o DC-6B prefixo PP-YSI, ex-Real Linhas Aéreas.

Esta aeronave começou sua vida voando pela SAS em 17.10.1953 como OY-KMI (serial 44166, line number 016). Veio para a Real em 17.03.1961 e em agosto do mesmo ano, passou a ostentar as cores da Varig. Depois, foi para a FAB como 2412 (1968). Em junho de 1975 foi cedido ao Paraguai, onde operou até 1980 (código 4003) até ser desativado.

Os Douglas DC-6 de primeira versão de produção (os “DC-6 puros”) foram produzidos até 1951, num total de 175 unidades. Destes, nenhum chegou a operar nas companhias brasileiras. Em 1948, entretanto, a Douglas começara a estudar a possibilidade de uma versão ampliada, com maior volume de cabine, carga útil e peso operacional, aproveitando para isso a disponibilidade dos novos e excelentes motores Pratt & Whitney Doublé Wasp C 16, de 2.400 hp. Que foram oferecidos com um sistema de injeção de água/metanol, para uso na decolagem. Permitindo um incremento sensível na potência.

Foi feito um novo alongamento da fuselagem, de 1,52 m, e a capacidade de combustível também foi ampliada, passando de 16.125 para 20.915 litros. Esta nova geração do DC-6 voou em 1949 e foi oferecida em duas variantes- DC-6 A, otimizado para carga (com assoalho reforçado e duas grandes portas do lado esquerdo, uma antes e outra atrás da asa), e o DC-6B, especifico para o transporte de passageiros. Ao todo foram produzidos 288 DC-6B, com o último sendo entregue em 10 de fevereiro de 1959, exatamente para a companhia brasileira Lóide Aéreo Nacional. Assim, os últimos DC-6 a saírem das linhas de montagem da Douglas!

A aquisição dos quatro DC-6 do Lóide Aéreo aconteceu com uma encomenda em 1957, feita em função de uma lei que garantia subvenção estatal para reequipamento às companhias aéreas. Como a empresa, na época, operava uma extensa rede de linhas domésticas com uma grande frota de DC-4 e C-46, ela pôde acessar recurso bastante respeitável através da lei e os investiu na compra dos DC-6.

O fato, porém, é que a própria companhia não sabia o que fazer com aeronaves de tal capacidade, de modos que, imediatamente à sua entrega, os aviões foram arrendados à Panair do Brasil-que, assim, se tornou a primeira operadora do modelo no país. Na Panair, os quatro DC-6 foram usados em linhas internacionais para a América do Sul, o sul da Europa e o Oriente Médio, servindo nessa rotas até 1961.

Aeronave: Douglas DC-6B
Operador & Registro: Varig | PP-YSI
Kit: Minicraft
Escala: 1/144
Número Hangar: SR00134