Lockheed Electra II | Braniff

Este é o Lockheed L-188 Electra II nas cores clássicas da Braniff International, em tons pastel, de meados dos Anos 60, quando a empresa lançou a campanha “The End of the Plain Plane”. Os Electra II começaram a voar com a Braniff nas cores antigas e uma das aeronaves da companhia (o gêmeo N9705C) se acidentou na famosa série que deu origem às modificações estruturais que culminaram com o renascimento do Electra II.

Esta aeronave representada pelo modelo, o N9704C, serial 1086 (o 222 L-188 construído) voou pela primeira vez em 1959 e foi destruída em um acidente no Peru em 24.12.1971, quando já havia sido vendida para a LANSA. Naquela véspera de Natal, voando em uma tempestade, teve um raio na asa direita que, após pegar fogo, separou-se do avião, que caiu com as 91 pessoas que estavam a bordo. Foi o segundo maior acidente com um Electra na época.

O modelo é em metal, da Aviation200 na escala 1/200. Belíssimo trabalho da marca, pintura e detalhes muito bons. Tenho mais dois Electra da marca, um Varig e um KLM, já postados.

Aeronave:Lockheed L-188 Electra II
Operador & Registro: Braniff International | 
Kit: Aviation 200
Escala: 1/200
Número Hangar: SR00705

Lockheed Electra II | Varig

Este é o Lockheed L-188 Electra II nas cores clássicas da Varig, que operavam na Ponte-Aérea entre São Paulo e Rio de Janeiro. A história no Brasil começou em 1962, quando a empresa começou a receber os aviões, ex-American Airlines.

Ele foi empregado pela Varig e fazia sucesso entre pilotos e passageiros até 1991. Alguns Electra operaram até como cargueiros puros e outros chegaram a fazer ligações, com escalas, entre Rio de Janeiro e Nova Iorque e também Lisboa, sem sofrer qualquer incidente sério. Um recorde de segurança. O PP-VJM (serial 1025) hoje encontra-se preservado no Museu Aeroespacial (MUSAL) do Campo dos Afonsos, no Rio de Janeiro, para onde foi levado em 1992.

O modelo é em metal, da Aviation200 na escala 1/200. Belíssimo trabalho da marca, pintura e detalhes muito bons. Tenho mais dois da marca, um KLM e um Braniff, em breve mostro aqui.

HISTÓRICO

O Lockheed L-188 Electra começou a ser desenvolvido em 1954 para atender uma exigência da American Airlines, para operar em rotas domésticas de curto e médio alcance. O primeiro protótipo voou em 6 de dezembro de 1957. Muitas outras companhias aéreas americanas já se interessavam pelo modelo e a lista de pedidos já passava de 144. Seu primeiro voo comercial foi em 12 de janeiro de 1959, com a Eastern Air Lines (devido a uma greve de pilotos da American Airlines). No entanto, o otimismo da Lockheed sobre vendas futuras foi fortemente abalado por uma série de acidentes ocorridos entre 1959 e 1960 (dois deles onde a aeronave partiu-se em voo), que contribuiu para uma grande quantidade de cancelamentos de pedidos.

Como medida preventiva, restrições à velocidade e altitude de voo foram impostas aos Electras após essas ocorrências.

Após uma longa investigação conduzida pela Lockheed em conjunto com a NASA, finalmente descobriu-se a causa para as rupturas da estrutura da asa ocorridas em voo. Um erro de projeto das naceles dos motores fazia com que estes gerassem uma vibração conhecida como “whirl mode”, que era transmitida à asa na mesma frequência de ressonância desta, que iniciava assim um movimento de oscilação crescente que culminava no rompimento de sua estrutura e sua separação da fuselagem.

As naceles ou berços dos motores e as asas foram então reprojetados, recebendo diversos reforços estruturais, e todas as unidades do L-188 em operação foram imediatamente submetidos a um programa de modificações denominado “LEAP – Lockheed Electra Action Program”. Dessa forma, o problema foi definitivamente resolvido e as restrições de voo impostas ao Electra foram suspensas. Porém a imagem do modelo estava irremediavelmente manchada entre os usuários de transporte aéreo dos Estados Unidos, sendo esse um dos motivos que levaram ao prematuro encerramento de sua produção, tendo o último Electra produzido, modelo L-188C e número de série 2022, sido entregue à empresa Garuda Indonesian Airways no dia 15 de janeiro de 1961.

NO BRASIL

No Brasil o Electra foi e sempre será o príncipe da Ponte Aérea Rio-São Paulo. Os Electra passaram a operar na Ponte Aérea e tornaram-se equipamento exclusivo a partir de março de 1975, após a retirada de serviço do último Vickers Viscount da Vasp. Desde a sua criação, em julho de 1959, a Ponte Aérea foi servida por vários tipos de aviões pertencentes às empresas que faziam parte do “pool” operacional.

Com a introdução dos Electra como equipamento exclusivo da Ponte, o número de assentos disponíveis para cada empresa do sistema (Varig, Cruzeiro, Vasp e´Transbrasil) teve que ser calculado proporcionalmente à participação de cada uma no mercado. Independente disso, os Electra eram sempre operados por tripulantes técnicos da Varig, com pessoal de cabine fornecido pela empresa que originasse o vôo. Se fosse um da Transbrasil, os comissários eram da Transbrasil. Na Ponte, os Electra chegaram a sustentar uma média de 66 vôos diários, com partida a cada 15 minutos e, se necessário, faziam vôos extras. Essa frequência diminuía nos fins de semana, quando geralmente os vôos eram realizados somente de hora em hora. O ciclo operacional desses aviões vai ser fechado com números bastante expressivos, que dão bem conta do que foi a sua vida no Brasil.

Na época, segundo estatísticas fornecidas pela Varig, a frota dos Electra completou 777.140 horas de vôo com 736.806 pousos, o que dá uma média de 55.510 horas de vôo e 52.629 pousos por avião.

Aeronave: Lockheed L-188 Electra II
Operador & Registro: Varig | PP-VJM
Kit: Aviation 200
Escala: 1/200
Número Hangar: SR00964

Lockheed Electra II | KLM

Este é o Lockheed L-188 Electra II nas cores iniciais do modelo na KLM (depois, mudou o sentido das listras na deriva). Esta aeronave, PH-LLD, serial 2009, com o nome Jupiter, operou sua vida toda com a KLM e foi arrendada, por um período, em 1961 para a Air Ceylon e em 1965 para a PAS (Persian Air Services). Voltou para a KLM e encontra-se preservada no aeroporto Schipol em Amsterdan. O modelo é em metal, da Aviation200 na escala 1/200. Belíssimo trabalho da marca, pintura e detalhes muito bons.

O Lockheed L-188 Electra começou a ser desenvolvido em 1954 para atender uma exigência da American Airlines, para operar em rotas domésticas de curto e médio alcance. O primeiro protótipo voou em 6 de dezembro de 1957. Muitas outras companhias aéreas americanas já se interessavam pelo modelo e a lista de pedidos já passava de 144. Seu primeiro voo comercial foi em 12 de janeiro de 1959, com a Eastern Air Lines (devido a uma greve de pilotos da American Airlines). No entanto, o otimismo da Lockheed sobre vendas futuras foi fortemente abalado por uma série de acidentes ocorridos entre 1959 e 1960 (dois deles onde a aeronave partiu-se em voo), que contribuiu para uma grande quantidade de cancelamentos de pedidos.

Como medida preventiva, restrições à velocidade e altitude de voo foram impostas aos Electras após essas ocorrências. Após uma longa investigação conduzida pela Lockheed em conjunto com a NASA, finalmente descobriu-se a causa para as rupturas da estrutura da asa ocorridas em voo. Um erro de projeto das naceles dos motores fazia com que estes gerassem uma vibração conhecida como “whirl mode”, que era transmitida à asa na mesma frequência de ressonância desta, que iniciava assim um movimento de oscilação crescente que culminava no rompimento de sua estrutura e sua separação da fuselagem.

As naceles ou berços dos motores e as asas foram então reprojetados, recebendo diversos reforços estruturais, e todas as unidades do L-188 em operação foram imediatamente submetidos a um programa de modificações denominado “LEAP – Lockheed Electra Action Program”. Dessa forma, o problema foi definitivamente resolvido e as restrições de voo impostas ao Electra foram suspensas. Porém a imagem do modelo estava irremediavelmente manchada entre os usuários de transporte aéreo dos Estados Unidos, sendo esse um dos motivos que levaram ao prematuro encerramento de sua produção, tendo o último Electra produzido, modelo L-188C e número de série 2022, sido entregue à empresa Garuda Indonesian Airways no dia 15 de janeiro de 1961.

Aeronave: Lockheed L-188 Electra II
Operador & Registro: KLM | PH-LLD
Kit: Aviation 200
Escala: 1/200
Número Hangar: SR00704

Lockheed Electra II | KLM

Kit Minicraft na escala 1/144, Lockheed Electra L-188 nas cores da KLM de 1960, quando a aeronave foi recebida. Com este kit eu completei, em 2012, as duas versões de caixa do kit Electra II Minicraft, número 14444, ou seja, fiz a versão Eastern Airlines e KLM. O kit não é dos melhores, mas fica bonito se bem trabalhado. Abaixo a história do Electra L-188C serial 2014, o PH-LLG, que voou mais de 45 anos seguidos.

Lockheed L-188C c/n 2014 was flown first on 17 February 1960. The airliner was registered PH-LLG with the KLM NV on 24 February 1960, delivered on 25 February 1960 and christened “Neptunus”. On 22 January 1969, registration PH-LLG was cancelled, after the aircraft was sold as N857U to the US freight carrier Universal Airlines. Lockheed L-188C N857U was converted to a freighter and the type was changed into a L-188C(F). Universal Airlines ceased operations in 1972 and the N857U was sold to the former Universal owners Zantop, which family founded Zantop International Airlines.

The ex KLM Electra’s, including the L-188C(F) N857U, however were sold to Saturn Airways. In December 1976, Trans International Airlines acquired Saturn including their Electra’s. When TIA was renamed Transamerica Airlines in May 1979 the N857U was transferred once again. In October 1985, the N857U was transferred to Interstate Airlines. Lockheed L-188C(F) N857U was sold to Sweden and registered SE-IZU with Falcon Cargo on 29 October 1987. On 6 April 1993, the Electra was transferred to Hunting Cargo Airlines and registered first in the UK as G-FIZU.

On 20 May 1997, the freighter was transferred to Hunting Cargo Airlines Ireland and registered EI-CHY. On 23 December 1998, the Electra was registered again in the UK as G-FIZU with Atlantic Airlines. Since Atlantic Cargo and Channel Express operated it. In 2005, the Lockheed Electra II was still active as G-FIZU with Atlantic Airlines.

Aeronave: Lockheed L-188 Electra II
Operador & Registro: KLM | PH-LLG
Kit: Minicraft
Escala: 1/144
Número Hangar: SR00746

Lockheed Electra II | Eastern Air Lines

L-188 Electra - Eastern Airlines

O avião da foto acima é um Lockheed L-188 Electra II da Eastern Air Lines na pintura clássica dos anos 50 chamada “Golden Falcon”. A Eastern foi uma das maiores empresas americanas e existiu entre 1926 e 1991. Sua sede principal era Miami, Florida. No auge, chegou a ter 304 aeronaves e voava para 140 cidades. Foi uma empresa muito influente nos anos 50, capitaneada por Eddie Rickenbaker, lendário executivo da aviação.

Apesar de bem recebido, o avião da Lockheed teve um começo problemático. Após seu primeiro voo em 1957, foi introduzido em operação comercial pela Eastern Air Lines, juntamente com a American, Braniff e KLM. Um total de 170 foram produzidos entre 1957 e 1961.  Pouco depois de sua entrada em serviço, dois graves acidentes envolvendo aeronaves novas da American (03.02.1959) e Braniff (29.09.1957). Nestes acidentes, as asas se separaram dos aviões em um problema estrutrural que, após resolvido, nunca mais trouxe problemas ao L-188 (ele operou décadas na Ponte Aérea Rio-São Paulo pela Varig sem nenhum acidente).

Porém, o Electra ficaria marcado nos Estados Unidos por mais dois acidentes, em rápida sequência. Ainda que por outras razões, os acidentes da Northwest Orient (17.03.1960) e Eastern Air Lines (04.10.1960) acabaram com a reputação da aeronave no país. O Northwest caiu por um erro grosseiro de manutenção e o Golden Falcon prefixo N5533 da Eastern caiu logo após a decolagem do aeroporto Logan International em Boston por chocar-se com um grupo de centenas de Starlings (conhecidos no Brasil como Estorninhos).

O acidente aconteceu às 17h40 quando o voo 1959 da Eastern decolava de Boston (Logan International) com 72 pessoas a bordo (67 passageiros e 5 tripulantes) rumo à cidade de Philadelphia . Após a corrida de decolagem, a aeronave iniciou sua subida e poucos segundos após deixar a Pista 05, chocou-se contra um grupo de Estorninhos. Enquanto praticamente 100 pássaros ficaram na pista, mortos, o Electra iniciou sua luta para manter-se no ar, sem sucesso. Com os motores 1, 2 e 4 fatalmente atingidos por pássaros que entraram em seus sistemas, a aeronave ainda voou por quase um quilômetro e, rolando para a esquerda, perdeu sustentação e caiu verticalmente, com o nariz apontado para a água. Apenas 10 pessoas (entre elas, duas comissárias) sobreviveram.

Eastern Electra N5533

O acidente foi causado pela perda de potência causada pelo choque com as aves, já que a aeronave não conseguiu manter a velocidade e não tinha altura suficiente para tentar uma manobra de emergência. O design do Electra em si não teve culpa nenhuma no acidente, mas foi um ponto crítico na carreira do L-188 nos Estados Unidos. Foram quatro acidentes em um ano e oito meses, com um total de 219 mortos. Demais para a opinião pública.

Eastern Electra N5533

O Kit que representa este Electra II prefixo N5533 é um Minicraft, escala 1/144, montado em 2002. Foi meu primeiro kit montado após sete anos sem praticar o hobby, desde 1995. Inicialmente montado nas cores da American Airlines (veja a primeira foto abaixo), há muito tempo este kit aguardava uma reforma. Usando decais originais da Minicraft, o resultado do trabalho deste final de semana de Páscoa (22 a 24.04.2011) pode ser visto abaixo. Foi o 14º kit finalizado por mim em 2011.

Electra American Airlines

Electra Eastern Airlines

Electra Eastern Airlines

Electra Eastern Airlines

Electra Eastern Airlines

Electra Eastern Airlines

Electra Eastern Airlines

Electra Eastern Airlines

Electra Eastern Airlines

Electra Eastern Airlines

Electra Eastern Airlines

Electra Eastern Airlines

Ficha Técnica:

Aeronave:  Lockheed L-188 Electra II
Registro: Eastern Air Lines – N5533
Kit: Minicraft
Escala: 1/144
Número Hangar: SR00139