Boeing 757-200 | Transbrasil

Boeing 757 | Transbrasil

As imagens acima e abaixo mostram o PT-TAB, que seria o primeiro Boeing 757-200 da Transbrasil, em 1982/1983 e o PT-TBB, que seria o segundo. São kits na escala 1/144 com decais feitos por mim mesmo. Assim, são aeronaves únicas no mundo. Mas, no fórum Papo de Hangar, em breve estarão ao dispor dos modelistas, para download. Vamos povoar o mundo de 757’s coloridos.

Apenas para ilustrar, a história dos 757 na Transbrasil é a seguinte: os slots dos seriais 22782, 22783 e 22784 seriam modelos 757-2Q4 (Q4 era o código Transbrasil na Boeing) e não foram construídos. Além deles, o slot 24635 produziu aeronave cargueira com este serial para a Transbrasil (757-23APF), que seria o famoso PT-TDA. Não foi recebido pela empresa em 1990, ficou pintado de branco na Boeing por seis meses e foi depois para a Ansett e por várias empresas até, em 01.07.2002, nas cores da DHL, colidir com um TU-154 sobre a Alemanha.

Segundo o livro “Breve História da Aviação Comercial Brasileira” de Aldo Pereira, em 18.08.1981 a Transbrasil anunciou que desejava trocar seus 17 Boeing’s 727-100 por 3 modelos 767-200 e 9 modelos 757-200, em uma encomenda de 418 milhões de dólares. Após, em 24.05.1982, Omar Fontana, dono da empresa, anunciava que pretendia ter um total de 12 aeronaves 757-200 operando em um prazo de cinco anos. Os primeiros nove 757 foram encomendados junto com os 767 (razão dos três slots iniciais), mas em 19.03.1983 a empresa anunciou que iria adiar indefinidamente a compra dos modelos 757-200, mantendo apenas a encomenda dos 767-200, que teve sua primeira unidade em solo brasileiro exatamente às 08h00 do dia 18.06.1983. Já a história do cargueiro no início dos anos 90, não foi uma encomenda da Transbrasil em si, mas da subsidiária Aerobrasil, apesar de estar em seu nome. Isso ocorreu quando Omar estava afastado da empresa. Ao retomar a direção, mesmo com uma aeronave (das três encomendadas) já produzida, cancelou a operação e, assim, o Boeing 757 nunca operou na Transbrasil de fato.

Mas, no Hangar de Plástico, o Boeing 757-200 tem as cores da Transbrasil. Clique AQUI para ver o PT-TAB (laranja) e AQUI para ver o PT-TBB (azul).

boeing 757-200 | transbrasil

Ficha Técnica:

Aeronave:  Boeing 757-200
Registro: Transbrasil – PT-TAA (Azul)
Kit: Minicraft
Escala: 1/144
Número Hangar: SR01081

Ficha Técnica:

Aeronave:  Boeing 757-200
Registro: Transbrasil – PT-TAB (Laranja)
Kit: Minicraft
Escala: 1/144
Número Hangar: SR01082

Dash-8-300 | Taba

Hangar | Dash-8-300 | Taba

O kit representa um De Havilland Canada DHC-8-311 Dash 8, serial number 266, prefixo PT-OKA, utilizado pela TABA (Transportes Aéreos da Bacia Amazônica). O kit é NAZCA, muito bom, detalhado. Os decais originais do avião, também Nazca, possuem bons stencils, que dão um acabamento excelente e criam painéis da aeronave. Um show à parte.

O nome De Havilland Canada Dash-8, atualmente conhecido como Bombardier Dash 8, designa uma série de aeronaves bimotores, turbo-hélice, de médio alcance. O modelo inicial foi lançado em 1984. De 1996 em diante, estas aeronaves passaram a ser designadas como Q Series, com o Q significando quiet (silencioso). Esta designação deriva do novo Sistema de Supressão de Vibração e Ruído (em inglês Noise and Vibration Supression System ou NVS).

A série dispõe de quatro modelos: Q100, Q200, Q300 e Q400. A aeronave deste post é uma aeronave bimotor turbo-hélice de médio-porte, projetada especialmente para uso civil no transporte regional de passageiros, normalmente configurada para 50 assentos (média-densidade) ou 54 assentos (alta-densidade), cujo principal atrativo técnico desenvolvido pelo seu fabricante é a boa flexibilidade para pousar e decolar em pistas curtas ou médias, com obstáculos próximos às cabeceiras ou prolongamentos.

Na verdade, o atual e eficiente Dash Q-300 é uma versão mais refinada de outro sucesso de vendas similar denominado Dash 8-300, com mais de 200 unidades vendidas, principalmente nos mercados norte-americano e europeu.

No Brasil, a empresa TAVAJ operou o Dash-8-200 e as empresas PENTA e TABA operaram o Dash-8-300. A TABA (Transportes Aéreos Regionais da Bacia Amazônica S/A.) foi a primeira regional a entrar em funcionamento, em 1975. Fundada em 1974, deixou de voar em 1999. Os Dash-8-300 (três aeronaves) operaram por pouco tempo, entre 1991 e 1994. Chegaram a operar em Taubaté.

Dash-8-300 | Taba | PT-OKA

Ficha Técnica:

Aeronave:  Canadair Dash-8-300
Registro: Taba Amazônia – PT-OKA
Kit: Nazca
Escala: 1/144
Número Hangar: SR00931