Boeing 747SP | Pan Am

O Boeing 747 trouxe para aviação um novo parâmetro com capacidade e desempenho impressionantes na época de seu lançamento, em 1969, e sempre foi referência no campo dos grandes aviões comerciais, conhecido como “Jumbo” e também “Rainha dos Ares”. A primeira geração do Jumbo, o 747-100, tinha alcance de 9.800 km e uma capacidade média para 360 passageiros. Era o maior avião do mundo, com 70,6 metros de comprimento,  capaz de ligar continentes voando a velocidade máxima de 955 km/h.

Em razão de suas rotas, a empresa que convenceu a Boeing a criar o Jumbo, a lendária Pan American World Airways (Pan Am) pediu para a Boeing em 1973, uma versão capaz de cobrir duas vezes o alcance do 747 normal. A ela se juntou a Iran Air, que também desejava um avião com mais alcance. A Boeing optou por redesenhar o 747 e mudá-lo radicalmente, começando por diminuir seu peso. Menos 30 toneladas de peso e 16 metros de comprimento e uma grande reengenharia no estabilizador vertical, que tem 20 metros de altura.

Podia transportar até 400 ocupantes, mas em geral tinha entre 220 e 250 lugares nos seus operadores. O “Baby Jumbo” podia voar a até de 12.320 km de distância, alcance que apesar de ser o maior da época, era menor do que o desejado. Operado de 1976 em diante, foi recebido pela Iran Air (4 unidades), South African Airways (SAA, com 5 unidades) e a própria Pan Am (11 unidades). No total, 45 aeronaves foram compradas entre os anos de produção, 1976 e 1989.

Era especializado em voos transcontinentais e aumentou a frequência de viagens sem escalas para os EUA partindo de países da Ásia, Oriente Médio e África. O que antes exigia parada para reabastecimento, se tornou um voo non-stop. O 747SP foi iniciou uma série de voos regulares de longa distância com destino a Nova York partindo de cidades como Tóquio, Johanesburgo e Buenos Aires direto para New York. Ele estabeleceu diversos recordes: em 1976 um 747SP da Pan Am deu a volta ao mundo com apenas duas paradas. A aeronave decolou de New York, pousou em Nova Delhi, na Índia e em seguida em Tóquio para em retornar ao ponto de origem. A viagem durou 46 horas e 26 minutos e cobriu uma distância de 37 mil quilômetros.

Este recorde foi quebrado por ele mesmo durante as celebrações dos 50 anos da Pan Am quando efetuou um voo especial, conhecido como “Pan Am Flight 50”. Em 28.10.1977, o 747SP-21 Clipper New Horizons, N533PA (ex- Clipper Liberty Bell) voou de San Francisco para Londres, Cidade do Cabo e Auckland, na Austrália, completando uma volta ao globo voando sobre os polos sul e norte em 35 horas e 54 minutos.

Para comemorar este dia 4 de Julho, o 747SP-21 deste post, N540PA, que tinha o nome de China Clipper, serial 21649, voou pela primeira vez em 01.05.1979 e foi entregue dez dias depois para a Pan Am. Em 1986 passou para a United Airlines como N149UA e segue operando ainda em 2018. Desde 1995 se tornou aeronave executiva e voou para os governos de Brunei e Bahrein e, em 2008 foi vendido para a Las Vegas Sands Corporation com o prefixo VQ-BMS.

O kit é um vacuumform da Welsh by Guick.

Aeronave:  Boeing 747SP
Operador & Registro: Pan American World Airways (Pan Am) | 
Kit: Welsh Models (SL293V)
Escala: 1/144
Número Hangar: SR01324

Douglas DC-6B | Pan American

Mais um Minicraft, este out of the box, nas cores da Pan American, final dos Anos 50. O Douglas DC-6 foi um avião de motor a pistões construído pela Douglas Aircraft Company de 1946 a 1959. A Pan Am usou aeonaves DC-6 na inauguração dos seus voos transatlânticos em classe turística, iniciados em 1952. Eles voavam nestas cores para o Brasil. A aeronave que este kit Minicraft representa (escala 1/144) é a de prefixo N6528C, chamado de “Clipper Midnight Sun”, recebido na frota em 03.07.52 (serial )43528. Aliás, ele iniciou a carreira naquele ano com a pintura antiga e o nome “Clipper Morning Star”.

Aeronave: Douglas DC-6B
Operador & Registro: Pan American | N6528C 
Kit: Minicraft
Escala: 1/144
Número Hangar: SR00944

Boeing 777-200 | Pan Am

Boeing 777-200LR Pan Am

O Boeing 777-200LR que está na imagem acima não existe de verdade. É uma montagem de como teria sido um Boeing 777 nas cores da Pan Am. A empresa, que operou entre 1927 e 1991 foi uma das mais importantes companhias aéreas de todos os tempos. Muitos aviões comerciais foram desenvolvidos em parceria dos fabricantes e a empresa. Um dos exemplos foi o Boeing 747. Infelizmente, razões financeiras e o atentado terrorista de Lockerbie, no início da década de 90, encerrou suas operações.

O Boeing 777 iniciou operações em 1994 e, assim, nunca ostentou as cores da lendária empresa americana. Porém, a magia do nome Pan Am continua até hoje. Como a empresa é uma das minhas favoritas, em um recente Grupo de Montagem, decidi fazer uma dupla de Triple Seven’s como se tivessem operado na Pan Am. Um seria de passageiros (777-200LR) e o outro, na versão cargeuira (777F).

777-200LR - Construction 01

A imagem acima mostra a ficha de acompanhamento de montagens que fiz para o 777 na versão de passageiros. Utilizei kits da marca Minicraft , uma indústria americana, cujos kits são fabricados na China. Ambos os kits (o de passageiros e o cargueiro) receberam diversas modificações e os decais (as marcas de pintura com o nome da empresa, incluindo janelas, portas, títulos, tudo) foi feito por mim e impresso em casa. Meu primeiro primeiro trabalho de decal.

777F Pan Am

A imagem acima mostra a ficha de acompanhamento que fiz para o 777 cargueiro. O que diferencia esta aeronave da versão de passageiros é, em uma visão simplista, a fuselagem totalmente sem janelas, pois nela se transporta apenas carga em containers.

777 Pan Am - O Início

As diversas etapas de construção envolveram o detalhamento dos motores (vistos acima – o tom azul na saída da turbina é um tratamento químico especial anti-corrosão que dá esta cor que desaparece entre 30 a 60 dias de operação da aeronave) e dos trens de pouso, em especial, vistos nas imagens abaixo:

777 Pan Am - Detalhes 01

777 Pan Am - Detalhes 02

Os decais exigiram mais trabalho e um teste em uma fuselagem de outro avião do mesmo modelo:

777 Pan Am - Detalhes 03

Após o teste, uma versão final foi criada (vista abaixo) e ela foi impressa em duas passagens separadas na impressora jato de tinta, uma imprimindo apenas em preto e a segunda, imprimindo a parte colorida. Após, o decal recebeu uma demão de verniz para poder ser aplicado ao kit.

777 Pan Am - Decal

O resultado pode ser visto nas imagens abaixo. Dois belos Triple Seven nas lendárias cores da Pan Am. O de passageiros é um Boeing 777-200LR, prefixo N777PA e com o nome de Clipper Stella Maris (homenagem à minha filha que se chama Stella. O Maris foi só um toque a mais no nome do “veleiro”) e o cargueiro é um 777F (Freighter), prefixo N778PA, batizado Clipper Hercules, ambos com as cores fictícias do que seria a Pan Am em 2007, comemorando seus 80 anos (há até um selo comemorativo disso, veja nas fotos abaixo). Foram ambos construídos em menos de 20 dias (19.03 até 06.04.2011) para o 1º Grupo de Montagem de um outro site de modelismo.

777 Pan Am

777 Pan Am

777 Pan Am

777F Pan Am (Cargo)

777F Pan Am (Cargo)

777F Pan Am (Cargo)

777-200LR Pan Am

777-200LR Pan Am

777-200LR Pan Am

777-200LR Pan Am

777 Pan Am - Detalhes

Ficha Técnica:

Aeronave:  Boeing 777-200LR
Registro: Pan Am – N777PA
Kit: Minicraft
Escala: 1/144
Número Hangar: SR01064

Aeronave:  Boeing 777-200F
Registro: Pan Am – N778PA
Kit: Minicraft
Escala: 1/144
Número Hangar: SR01065